quinta-feira, 13 de março de 2014

Exclusivo: Homicídio foi registrado na noite desta quarta-feira (12), em São Bento - PB. Confira fotos!


O índice de violência voltou a aumentar na cidade de São Bento - PB, na microrregião de Catolé do Rocha - PB.

Na noite desta quarta-feira (12) de março, foi registrado o 3° (terceiro) homicídio de 2014, o crime ocorreu no centro da cidade, na lanchonete Stop Lanches.

Segundo populares, um homem não identificado chegou até o local onde a vítima, Wilson de Oliveira de 32 anos, estaria e efetuou cerca de três disparos de arma de fogo contra Wilson, que veio a óbito minutos após.

Em seguida, a Polícia Militar local foi acionada por populares, onde uma guarnição se dirigiu até o local e constatou o crime.

A Polícia realiza buscas e diligências nas localidades próximas ao crime, em busca do autor dos disparos.

O Gemol de Catolé do Rocha - PB realizou a remoção do corpo ao Instituto Médico Legal de Patos-PB.

Imagens fortes.Clique aqui caso deseje visualizá-las.



Imagens fortes.Clique aqui caso deseje visualizá-las.

Do São Bento Online

quarta-feira, 12 de março de 2014

Deputados da Paraíba gastam R$ 9,8 milhões


Os deputados paraibanos receberam, a título de verba indenizatória, um total de R$ 9.883.240,67 durante o ano passado, conforme os dados computados no Portal Sagres do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB). Os valores de cerca de R$ 30 mil mensais para cada um, além do salário de R$ 20.042, são declarados individualmente à Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) e publicizados genericamente pelos legisladores como ressarcimento do apoio à atividade parlamentar, alimentação, verba assistencial, divulgação de mandato, apoio técnico e material impresso.

A Resolução 1.629/2013, aprovada em dezembro passado, permite ressarcir despesas parlamentares com aluguel de imóvel, taxas de condomínio e IPTU, contas de telefone, água, internet e energia, locação de veículos, aeronaves ou embarcações (e combustível), assinatura de TV a cabo, viagens e hospedagem, entre outros.
O teto da "Verba Indenizatória de Apoio Parlamentar" (VIAP) mensal foi fixado em R$ 35 mil para este ano, um aumento de R$ 5 mil sobre o valor anterior, de R$ 30 mil. Segundo a assessoria de imprensa da ALPB, o valor pode ser fixado anualmente, por ato da Mesa.
Os valores variáveis ressarcem despesas dos parlamentares no exercício de suas funções, conforme os gastos apresentados na prestação de contas, mas são também válidos para o mês seguinte, caso não totalmente utilizados no período válido.
Oito deputados, porém, utilizaram a verba integral, mensalmente, em 10 parcelas fixas de R$ 30 mil: Antonio Mineral (PSDB), Vituriano de Abreu (PSC), Edmilson Soares (PEN), Trocolli Junior (PMDB), Janduhy Carneiro (PTN), João Henrique (DEM) e José Aldemir (PEN). Durante o ano, cada um recebeu R$ 300 mil da VIAP. Os deputados que mais receberam foram o presidente da Casa, Ricardo Marcelo (PEN), e Anísio Maia (PT). Cada um foi ressarcido em R$ 330 mil nas suas despesas.
Também receberam o valor anual de R$ 300 mil os deputados Branco Mendes (PEN), Carlos Batinga (PSC), Daniella Ribeiro (PP), Gervásio Maia (PMDB), Gilma Germano (PPS), Domiciano Cabral (DEM), Lindolfo Pires (DEM), Olenka Maranhão (PMDB), Doda de Tião (PTB) e Wilson Braga (PV). Os deputados Raniery Paulino (PMDB), Márcio Roberto (PMDB), Jutay Meneses (PRB), João Gonçalves (PSD) receberam mais de R$ 290 mil cada.
Além do salário de R$ 20.042 e gratificações que compõem a remuneração, os deputados também recebiam 13º e 14º salários, pagos no início e fim de cada ano. Os benefícios foram extintos após votação unânime em março do ano passado. 
Reprodução; Taiguara Rangel/G1 Paraíba